Teoria Crítica

A Teoria crítica surgiu após o início da Escola de Frankfurt que foi fundada no ano de 1924 por Felix Weil financiador do grupo. A escola reuniu em torno de si cientistas e filósofos sociais de mentalidade marxista na década de 20, eles cultivavam a Teoria Crítica da sociedade.
Os principais integrantes foram: Theodor Adorno, Max Horkheimer, Walter Benjamin, Herbert Marcuse, Leo Löwenthal, Erich Fromm, Jürgen Habermas, sendo os responsáveis pelo espalhamento da “Indústria cultural” e “Cultura em massa”. Mas a teoria foi idealizada mesmo por Theodor e Max que falavam de uma população de parasitas que não questionavam nada, somente aceitavam tudo aquilo que era imposto pela classe dominante. E nisso a elite de modo geral começou a transformar o que poderia ser uma cultura em uma maquina de dinheiro, impossibilitando que as classes mais baixas criassem uma cultura própria e crítica que seria no caso aquilo que chamamos de “liberdade de expressão”, não passava apenas de um meio de manipular a todos, pois faziam acreditar que nós podíamos tudo, quando na verdade estávamos fechando nossos olhos para tudo. E acabamos fazendo somente aquilo que a elite quer!

  • Os objetos das críticas da escola de Frankfurt eram: Reality shows, músicas que se tornam populares (exemplo: Anitta, Tchacabum, funk etc…), Novelas, Marcas de roupas entre outros.
  • A Cultura sendo defendida pela teoria critica: Hamlet, Romeu e Julieta, Concertos musicais, Beethoven, entre outros.

A indústria cultural, sendo um tipo de cultura enlatada que muitas vezes era considerada fútil pelos grandes pensadores. Os meios de comunicação que determinava o que o povo ia ler ouvir e assistir. Que por essa razão, “indústria cultural” substitui o termo “cultura de massa”, pois não se trata de uma cultura popular representada em reality shows, por exemplo, mas de uma ideologia imposta às pessoas. A sociedade ficava alienada sem questionar, sem a cultura propriamente dita  e esse debate é polêmico até nos dias de hoje, pois o que é imposto nos dias de hoje é aceito também pela sociedade, e hoje suas estratégias são propagar aquilo que eles sabem que a sociedade passou a gostar, sabendo que aquilo vai gerar grandes retornos por atingir o público alvo desejado, e assim conseguem gerar seus LUCROS que é o que mais importa, isso podemos chamar de “padronização-individualização”. Onde a propaganda e a manipulação possuem papel fundamental. A manipulação citada pode estar até no mercado de seu bairro, e tudo isso sempre vai ser voltado pelo LUCRO. Hoje em dia há alguns questionamentos, mas não é nada que muda em algo, pois a maioria da população ainda deixa ser iludida pela mídia, eles acreditam que somente porque é a elite maior que está impondo é o melhor para a sociedade. Com isso, ao invés de contribuírem para formar cidadãos críticos, manteriam as pessoas “alienadas” da realidade, conseguindo manter o objetivo de fazer com que a cultura se transforme em uma maquina ainda maior de dinheiro.

(O homem manipula-se entre si, porque não se reconhece, nem se vê no outro, vive em busca do poder, mas o Poder já era antes dele – Theodor Adorno).

http://www.unimep.br/teoriacritica/index.php?fid=116&ct=2636
http://brasilescola.uol.com.br/filosofia/teoria-critica-seus-principais-pensadores.htm

 

jjjhjhjh.jpg

escoladefrankfurt-150616004706-lva1-app6891-thumbnail-4.jpg